sexta-feira, 22 de abril de 2005

Dias fantásticos

Que dias fantásticos devem ter sido aqueles em que, ressuscitado, nosso Senhor conviveu com seus apóstolos e com discípulos.

Sabemos que o Senhor se dava a conhecer. Não foi isto que aconteceu a Madalena e aos dois no caminho de Emaús? Sabemos, também, que ele não estava sujeito ao espaço como antes de ressuscitar: desapareceu diante dos dois de Emaús e apareceu diante dos onze, causando-lhes tal susto, que precisou esclarecer que não era fantasma.

Entretanto, ele mesmo se encarregou de mostrar a Tomé que possuía carne e ossos diferentemente de um espírito. Mostrou-lhe a cicatriz da lança e mandou que tocasse nela. Comeu peixe assado com eles.

Dias fantásticos! Dias que marcaram definitivamente o ministério dos apóstolos. João nos diz que o Senhor repassou-lhes a missão do Pai: “assim como o Pai me enviou eu vos envio”. E, depois, soprou sobre eles dizendo: “Recebei o Espírito Santo. Se de alguns perdoardes os pecados, são-lhes perdoados; se lhos retiverdes, são retidos”. Que autoridade possuíam agora!

O curioso, entretanto, é que, apesar de tudo isto, ainda havia incredulidade. Foi depois desse “batismo com o Espírito Santo” (confirmado, diante de todos, no dia de Pentecostes) que Tomé o confrontou. Foi depois disso que todos resolvem ir pescar. Foi depois da pesca, e de se alimentarem, dos peixes com os quais o Senhor lhes esperava na praia, que ele confrontou Simão Pedro. Também foi depois disso que, censurando a dureza de coração deles, o Senhor prometeu os poderes, que seguiriam aqueles - dentre eles - que cressem. E finalmente, foi depois de tudo isto, que os anjos questionaram o espanto deles ao ver o Senhor subir ao céu.

Dias fantásticos, de acontecimentos fantásticos. De incredulidade fantástica.

Meus irmãos; não seja assim conosco. Pelo contrário, recebamos as bênçãos do Senhor com santa gratidão sabendo que tudo o que nos vem, vem de suas santas mãos, portanto miraculoso. Nossa vida mesmo é um bendito milagre, pois, não merecendo, fomos salvos por ele.

A ele glória. Hoje e no dia eterno.

Um comentário:

Kaká disse...

"a Ele a glória, hoje e no dia eterno"!!! Aleluia, pastor!! Que bom poder ter seus textos novamente para ler com regularidade!!! Deus o abençoe abundantemente, hoje e sempre!!!!

Ana Karina