sábado, 8 de setembro de 2012

A família de Zebedeu

Este nome de som curioso nos chegou através de sua forma grega Zebedaiou, mas era largamente usado na forma hebraica Zebadias, na qual há pelo menos nove personagens bíblicos. Significa “O SENHOR é minha porção”.

O Zebedeu, de quem o Novo Testamento destaca os filhos, deve ter sido um homem abastado, pois possuía empregados em sua empresa de pesca (Mc 1.20). Empresa familiar, algo parecido com o que hoje chamamos de cooperativa, pois além de incluir seus filhos incluía Simão Pedro (veja Lc 5.10).

Marcos (15.40) nos diz que Maria Madalena, Maria (mãe de Tiago) e Salomé acompanharam a crucificação do Senhor. Mateus (27.55-56) cita a mesma ocasião, mas fala de Maria Madalena, Maria (mãe de Tiago e José) e da mulher de Zebedeu. Seria Salomé, citada por Marcos, a mulher de Zebedeu, citada por Mateus? Tradicionalmente aceita-se que sim.

Relatando ainda a mesma ocasião, João escreve: “E junto à cruz estavam a mãe de Jesus, e a irmã dela, e Maria, mulher de Clopas, e Maria Madalena (Jo 19.25). Desse texto tem-se inferido que Salomé era irmã de Maria, mãe de Jesus. Isso implica que os filhos de Zebedeu seriam primos de Jesus.

Tradicionalmente tem-se concluído que, Zebedeu era o dono de uma pequena empresa de pesca. Era pai de Tiago e João. Casado com Salomé (forma feminina do nome Salomão) e cunhado de Maria, a mãe de Jesus, e portanto tio materno dele.

Tiago e João foram apelidados por Jesus de Boanerges, filhos do trovão (Mc 3.17), pelo gênio esquentado que os caracterizava. Podemos ver um exemplo disso quando os dois pedem autorização a Jesus para mandarem descer fogo dos céus e consumir uma vila de samaritanos que lhe negaram hospedagem (Lc 9.54), ou quando submeteram a própria mãe ao vexame de pedir ao Senhor que seus filhos se assentassem ao seu lado (Mt 20.20-24), ou ainda quando João proibiu certo homem, que não seguia a Jesus, de expelir demônios em nome dele e foi repreendido pelo Senhor (Lc 9.49). Apesar disso foram enviados pelo Senhor para preparar a refeição pascal (Lc 22.8).

Tiago provavelmente era o irmão mais velho, pois os Evangelhos sinóticos consistentemente sempre falam “Tiago e João”, nesta ordem (veja: Mt 4.21, 10.2, 17.1, Mc 1.29, 9.2, 10.35e41, 13.3, 14.33, Lc 5.10, Lc 6.14 e 9.54). E quando João é mencionado sozinho, acrescenta-se “irmão de Tiago” ou “João, seu irmão” (Veja: Mt 4.21, 10.2, Mc 1.19, 3.17 e 5.37).

No ano 44 Herodes Agripa mandou matá-lo (At 12.2).

De João sabemos que foi chamado por Jesus junto com seu irmão, e pelas peculiaridades de seu Evangelho, podemos notar que ele presenciou privilegiadamente alguns fatos:

- Só ele cita o milagre acontecido no casamento em Caná, especialmente a conversa de Jesus com sua mãe.

- Por ser conhecido do sumo sacerdote foi admitido ao pátio de sua casa onde testemunhou o julgamento do Senhor e a negação de Pedro.

- Foi o único dos apóstolos a permanecer aos pés da cruz (Jo 19.26). E a seus cuidados Jesus deixou sua mãe, apesar de ela ter outros quatro filhos e pelo menos duas filhas (veja Mc 6.3).

- Quando Maria Madalena avisou a ele e a Pedro que o túmulo do Senhor estava vazio, eles correram para lá. Como era mais jovem do que Pedro chegou antes, mas só entrou depois de Pedro.

- A respeito dele divulgou-se um boato que não morreria até que Jesus voltasse, fruto de uma má interpretação das palavras do Senhor, que ele mesmo corrige em seu Evangelho.

- Trabalhou com Pedro no início da Igreja em Jerusalém e o vemos atuante na cura miraculosa de um paralítico que ficava à Porta Formosa do Templo, na prisão ordenada pelo Sinédrio, na verificação dos acontecimentos em Samaria. Depois disso as únicas informações que a Bíblia nos dá sobre ele são indiretas: Paulo o chama de uma das colunas da Igreja de Jerusalém (Gl 2.9), e ele chama a si mesmo de Presbítero em sua carta à Kíria (em português traduzida como senhora eleita) (2Jo 1.1) e a Gaio (3Jo 1.1).

- Seu nome aparece ligado a cinco livros do Novo Testamento: Três cartas, o Apocalipse e o quarto Evangelho.

Duas coisas chamam a atenção de quem estuda a vida deste filho de Zebedeu:

1ª – Suas mudanças:

- De Boanerges (segundo Jesus) para Discípulo do Amor conforme se depreende de suas cartas (as quais não deixam de repreender).

- Por ocasião da Ceia com Jesus sua intimidade com ele era tão grande que estava recostado em seu peito. Trinta anos depois, quando o vê na Ilha de Patmos, já glorificado, João cai aos pés do Senhor “como morto”!

2ª – A grande confusão estabelecida pela tradição: Modernamente há uma corrente afirmando que ambos os filhos de Zebedeu foram mortos por Herodes. Entretanto a tradição mais aceita é que João, tomando Maria, a mãe de Jesus mudou-se para Éfeso onde viveu até os dia de Trajano, que foi césar de 98-117.

O problema com as duas tradições é que a primeira desdiz claramente a Bíblia, que atesta apenas a morte de Tiago, e mostra João em atividade após ela. E o problema com a segunda é a autoria do Apocalipse. Ele mesmo diz que o escreveu (veja Ap 1.1, 4, 9 e 22.8). Se ele morava em Éfeso e escreveu o Apocalipse como é que ele poderia escrever uma carta repreendendo o pastor da Igreja de lá? Era natural que sendo apóstolo ele fosse o responsável pela igreja, porem ele diz que seu pastor esqueceu seu primeiro amor e o exorta, como ameaças, a voltar a prática das primeiras obras! (Veja Ap 2.4-5).

Cada um dos integrantes da família de Zebedeu pode dar lições preciosas sobre dificuldades enfrentadas e superadas. Cabe a nós meditar sobre eles.

4 comentários:

Ricardo Manha disse...

Oi pastor.
O que me intriga é por que João chamaria a própria mãe de "irmã dela" ao invés de "minha mãe", ou mesmo de "Salomé". Apesar disso, continuo crendo que ela seja mesmo mãe de João.
Abs,

Dilma Nazareth disse...

Boa noite,
Quando joão escreveu a carta à igreja de Éfeso, ele não estava pastoreando a referida igreja, pois estava confinado na ilha de Patmos. Este estudo foi muito útil para mim. Obrigada.

folton nogueira disse...

Dilma,
Você acha que ele estava escrevendo para seu substituto? Observe que a reclamação de "esquecer o primeiro amor" pressupõe um certo tempo de carreira cristã.
ab
Fôlton

Florisberto Gomes disse...

Olá irmãos. É importante entender que o autor da carta à igreja e ao pastor de Éfeso, não é da autoria de João. Este é apenas o secretário, escritor. O Autor, pelo que vemos no Apocalibre capítulo 1, é Deus Pai, que deu tal revelação ao Filho e Este, pelo seu anjo a notificou a João, ordenando-lhe escrever e enviar às sete igrejas cristãs da Ásia, nomeadas nesse livro (Apocalipse 1:1).