sexta-feira, 22 de julho de 2005

Cum fortius

Como escrever palavras de conforto nesses dias tão atribulados? Entretanto não é uma das maiores necessidades do rebanho do Senhor? Esse é um grande dilema que, pessoalmente, enfrento como pastor.

As últimas semanas foram quase angustiantes. Nelas, os escândalos políticos, já costumeiros, foram entrelaçados com escândalos que envolvem os que se dizem evangélicos.

Mais uma vez, ficou claro: o que está sendo mostrado como de Deus, na realidade traz vergonha para seu santo Nome: a essência do Evangelho (Boas Notícias) foi substituída pela cobiça, usura, comércio e falta de vergonha.

Tristeza, dor e vexame são sentimentos comuns a todos os que amam o Senhor e oram as palavras de seu Filho: "santificado seja o teu nome".

Porém, há como enfrentar tudo isto com bom ânimo. Sugiro o seguinte:

1. Lembrar que conforto é mais do que aconchego. Na verdade seu sentido original vem das palavras latinas "cum+fortius", ou seja, "com força". Numa hora como essa precisamos de forças, não de ser "ninados".

2. Lembrar que o sofrimento faz parte integrante da caminhada do rebanho do Senhor, que, com Sua permissão é atacado por inimigos de dentro e por inimigos de fora. Não foi ele mesmo que disse que no mundo teríamos aflições? Que nos enviava como ovelhas para o meio de lobos?

3. Lembrar as palavras divinas nos transmitidas pelo Apóstolo Pedro: Amados, não estranheis o fogo ardente que surge no meio de vós, destinado a provar-vos, como se alguma coisa extraordinária vos estivesse acontecendo; pelo contrário, alegrai-vos na medida em que sois co-participantes dos sofrimentos de Cristo, para que também, na revelação de sua glória, vos alegreis exultando.

Se, pelo nome de Cristo, sois injuriados, bem-aventurados sois, porque sobre vós repousa o Espírito da glória e de Deus. Não sofra, porém, nenhum de vós como assassino, ou ladrão, ou malfeitor, ou como quem se intromete em negócios de outrem; mas, se sofrer como cristão, não se envergonhe disso; antes, glorifique a Deus com esse nome.

Porque a ocasião de começar o juízo pela casa de Deus é chegada; ora, se primeiro vem por nós, qual será o fim daqueles que não obedecem ao evangelho de Deus? E, se é com dificuldade que o justo é salvo, onde vai comparecer o ímpio, sim, o pecador? 1Pe 4.12-18


4. Orar – e viver a oração - junto com o salmista: Não sejam envergonhados por minha causa os que esperam em ti, ó SENHOR, Deus dos Exércitos; nem por minha causa sofram vexame os que te buscam, ó Deus de Israel. Psalm 69:6

Estes cuidados têm me dado paz e me poupado de angústias maiores. Recomendo-os com ênfase.

Agora, para finalizar: não nos enganemos a nós mesmos, nem deixemos que nos enganem: o Senhor Jesus disse que os lobos se disfarçam de cordeiros. Mantenha sua atenção naquilo que você tem certeza que é um lobo voraz, mas desconfie de quem se apresenta como cordeiro e age como lobo.

2 comentários:

Kaká disse...

É sempre um bálsamo ler/ouvir os textos aqui postados. Que bom que este espaço existe diminuindo a distância e a saudade que sentimos de suas pregações.
Abraço fraterno,

Alexandre e Karina/BH

Anônimo disse...

Interessante isso de o conforto que buscamos estar ligado à força, cum fortius... como isso me ajudou!!!

Realmente, sem a força que Deus nos dá é impossível ter o conforto na concepção superficial que temos. Muito obrigada pelas suas mensagens e pela facilidade de poder contar com uma ferramenta tão útil nos dias de hoje, na nossa correria diária, que nos proporciona, como disse o Alexandre o bálsamo diário em nossas vidas.

Precisamos mais do que nunca de pessoas comprometidas com o evangelho como você.

Obrigada pela sua presença online.

To rachando de orgulho de ser sua filha!!!

Continue assim, amo você.
glau/sp