sábado, 22 de outubro de 2011

A verdadeira adoração (parte 1)

"não terás outros deuses diante de mim"

Quando fiz o mestrado em Teologia Sistemática um de meus professores, o Dr. Fred Klooster, já na glória com o Senhor, contou uma história, que, por abordar as principais formas de se ter outros deuses diante do verdadeiro Deus, vou repeti-la sucintamente.

Ele estava lecionando em um país da Ásia e diariamente um carro o levava do hotel ao seminário. No dia em que o carro atrasou-se ele percebeu que ao lado do hotel havia uma fábrica de ídolos (a maior de todas, ficou sabendo depois, exportadora para todas as ilhas da Polinésia) na qual um grande número de deuses eram industrializados e outros feitos sob encomenda.

Conheceu o gerente e viu desde o trabalho dos artesãos até o processo industrial. Tentou fazer um censo das divindades lá produzidas - tão grande era o número delas - quem sabe, pensava ele, poderia usar tal informação em suas aulas.

Muitos deuses que eram feitos de barro, de madeira, de pedra, como os da Bíblia, e outros de materiais modernos: mais facilmente industrializáveis como os plásticos, que junto com os de gesso ficavam a cargo de operários menos qualificados cuja maior arte era a pintura de detalhes, pois as máquinas já os pintavam.

Foi autorizado a tirar algumas fotos e ao mostrá-las na sala de aula, obteve de seus alunos explicações sobre “os atributos” de cada um dos deuses. Um se ocupava com o clima, outro com as plantações, outro com a família, outro com a fertilidade, etc.

A última parte do curso era Teologia Contemporânea. Segundo ele, seu interesse pelos deuses locais trouxe a seus alunos uma liberdade para discussões até então não vista no Seminário, e que o tradutor, denunciado por alguns alunos que sabiam um pouco de inglês, insistia em resumir. Envergonhadíssimo o tradutor confessou que os alunos estavam achando semelhanças entre os ídolos locais e o modo como a teologia contemporânea via o Deus da Bíblia. As aulas ganharam novo alento e ele ficou lá mais tempo do que tinha programado ficar.

Voltou-se então para nossa turma e aplicou-nos sua história: As civilizações mais antigas fabricavam seus deuses de barro, madeira e pedra. Os homens que permaneceram nesse tipo de pensamento só mudaram os materiais a fim de industrializar o processo de fabricação. Porém, há um outro tipo de idolatria mais perverso e arraigado e que não se exterioriza na matéria. Os maiores fabricantes de seus deuses são os teólogos e suas oficinas são o seminários. Contra ela vocês devem estar atentos! Disse-nos apontando-nos o dedo no pouquíssimo português que conseguia falar, com os olhos marejados diante de uma turma chocada e convencida do horrível pecado que é abrigar outros deuses no coração.

Lembrei- então de como Deus responde ao idólatra. A esse tipo de idólatra: que abriga ídolos em seu coração: responde-lhe “segundo a multidão de seus ídolos”. Veja Ezequiel 14.1-8.

Particularmente não creio que seja preciso ir a um seminário para se fazer um novo deus. Basta não se amoldar ao Deus revelado nas Escrituras, e já estaremos diante de um Deus criado por nós mesmos.

O apóstolo João já nos diz: “Quem é o mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? Este é o anticristo, o que nega o Pai e o Filho. Todo aquele que nega o Filho, esse não tem o Pai; aquele que confessa o Filho tem igualmente o Pai. Permaneça em vós o que ouvistes desde o princípio. Se em vós permanecer o que desde o princípio ouvistes, também permanecereis vós no Filho e no Pai” (1Jo 1.22-24). Ou seja: Quem não tem a Deus revelado em Cristo não tem o verdadeiro Deus. Está adorando a um ídolo, por mais bíblico que o deus que ele professa possa parecer!

4 comentários:

Anônimo disse...

Pr. Fôlton, Que prazer poder desfrutar da PALAVRA DE DEUS através do senhor, que DEUS O MARAVILHOSO PAI O ABENÇOE.
Um grande abraço para o senhor, e a sua linda família(igreja e casa(lar)). Amo voc$es.

Pouco tempo passamos aí em Gov. Valadares, mas para mim e minha família foram grandes momentos que os guardaremos para sempre de nome de nosso SALVADOR E SENHOR JESUS, AMÉM.
Pastor dê um abraço no pastor Silvino na esposa, nos irmãos que conhecemos aí por favor e por amor.

Não sei se o senhor vai se lembrar de nós, estivemos aí em abril, minha filha orou na igreja antes de ir para escola dominical. Estávamos trabalhando com construção de apartamentos populares. Tomara que o senhor lembre de nós.
Dê um abraço na Joelma e família, não lembro nomes, mas fiquei na escola dominical de casais, dê abraços em todos, ou seja toda a maravilhosa igreja da Ilha.
Moramos em Campo Belo, tem uma linda senhora cuja a filha dela chama Cristina é da Presbiteriana daqui e o neto é João Carlos(Joca) da Primeira Presbiteriana de Gov. Valadares.
Bom, pastor já tomei um pouco seu tempo precioso.
Vou despedir-me, DEUS O ABENÇOE, SUA AMADA ESPOSA E FILHA E TODOS DA IGREJA.
Família V. R. Uvyn.

Pastor Welison Rodrigues Ayres disse...

Olá rev. Boa tarde. Sou ministro da IPB em Belo Horizonte e, com sua permissão, gostaria de reproduzir algum material do sr. no site da igreja. o endereço do site é:
www.ipbpetropolis.tk
Todo texto que for reproduzido terá a fonte citada. Aguardo resposta do Sr. Em Cristo Jesus o Senhor da Igreja
Rev. Welison Rodrigues Ayres
meu email.: pr.welison@bol.com.br

folton nogueira disse...

Welison, reproduza-o para glória de Deus.
Ab
Fôlton

folton nogueira disse...

Uvyn, Criei coragem de responder tua mensagem. Esse tempo todo não consegui lembrar-me de teu nome (perdão). Tenho tido muitas saudades também. Lamento vocês não terem se acertado em GoVal. Teríamos mais uma boa família em nossa Igreja. Transmitirei todas os teus abraços. Fôlton