sábado, 13 de julho de 2013

O Livro dos Salmos

Durante seis anos nossas reuniões de oração foram direcionadas pelos temas de um Salmo. Lemos e estudamos Salmo por Salmo e vimos em que ele nos conduz a orar. Para mim foram momentos de grande satisfação.

Compartilho aqui algumas informações sobre o livro de Salmos que aprendemos durante este período.

A primeira coisa é que na verdade o Livro dos Salmos é composto de 5 livros: As “marcas de transição” de um Livro para outro são bem claras: 1) No Salmo 41.13 lemos: Bendito seja o SENHOR, Deus de Israel, da eternidade para a eternidade! Amém e amém!”. 2) No Salmo 72.19-20 podemos ler o mesmo refrão acrescido da informação sobre o fim da orações de Davi: “Bendito para sempre o seu glorioso nome, e da sua glória se encha toda a terra. Amém e amém! Findam as orações de Davi, filho de Jessé”. 3) No Salmo 89.52 lemos a mesma fórmula dos dois primeiros livros: Bendito seja o SENHOR para sempre! Amém e amém!” 4) No Salmo 106.48 lemos: Bendito seja o SENHOR, Deus de Israel, de eternidade a eternidade; e todo o povo diga: Amém! Aleluia!”. 5) Finalmente no Salmo 150 lemos uma verdadeira apoteose como um todo e no versículo 6: Todo ser que respira louve ao SENHOR. Aleluia!”.

Possivelmente o Primeiro Livro (1-41) tenha sido feito ainda nos dias de Davi (Quase todos os seus Salmos são explicitamente atribuídos a Davi: 37 em 41) quando ele estabeleceu os levitas-músicos, ainda no tabernáculo (Leia o capítulo 16 de 1Cronicas, onde já se pode ver os Salmos 15.1-15, 96, 106.47-48).

Já o Segundo Livro (42-72) provavelmente tenha sido organizado por Salomão para o Templo (Leia o capítulo 5 de 2Crônicas). O número de Salmos atribuídos a Davi diminui para pouco mais da metade dos salmos do Livro (curiosamente um é feito em parceria com Jedutum). Os demais são atribuídos aos Filho de Coré, a Asafe e 1 a Salomão.

Muito provavelmente o Terceiro Livro (72-89) ainda seja obra de Salomão. Não que ele tenha escrito, mas seus escribas o compilaram, pois 1 Salmo é atribuído a Davi, 1 a Etã, 4 aos Filhos de Coré e 11 a Asafe.

Já o Quarto Livro (90-106) provavelmente tenha sido compilado pelos Escribas de Ezequias. Leia os capítulo 29 a 31 de 2Cônicas para se lembrar do que ele fez de bom e veja a repercussão que isso trouxe ao Escritório de Salomão em Provérbios 25.1).

O livro é aberto com o único Salmo atribuído a Moisés (que para muitos estudiosos é o mais antigo texto da Bíblia). Segue-se muitos Salmos escritos por autores que permaneceram no anonimato e apenas 2 Salmos são atribuídos a Davi. Entretanto por três vezes (Salmo 96, 105 e 106) repete-se o que Davi cantou ao receber de volta a Arca da Aliança, conforme está registrado em 1Crônicas 16 (Salmo 96 repete 1Crônicas 16.23-33; o Salmo 105 repete 1Crônicas 16.8-22 e o Salmo 106 repete em alguns versículos 1Crônicas 16.35-36).

O Quinto Livro (107-150) provavelmente foi produzido depois da volta do Cativeiro Babilônico, pois é nele que encontramos alusões ao Cativeiro, sejam diretas (Salmo 137) ou indiretas (Salmo 124, 126 e 127). Nele encontramos 14 Salmos atribuídos a Davi, e 1 a Salomão. Os demais 28 são de autores que permaneceram anônimos.

Porém, neste livro há um grupo de 15 salmos intitulados pela Edição Almeida e Atualizada “Cântico de Romagem” que seriam melhor chamados de Cânticos de Subidas. Estes cânticos eram usados durante as peregrinações ao Templo. Reúnem Salmos compostos por Davi, (ainda no período do Tabernáculo) e de Salomão. Na realidade estes Salmos são incentivo a que o Povo de Deus se lembrasse do Templo reconstruído (sem a glória do anterior), e, se estimulassem a subir a Jerusalém: “Alegrei-me quando me disseram: vamos à Casa do SENHOR [...] onde estão os tronos de Justiça”.

O Livro dos Salmos, portanto é para nós o que já foi chamado de “tesouro de Davi”. Nele encontramos a nós mesmos, com nossos defeitos: Impaciência (Até quando Senhor?), desejo de vingança (Filha da Babilônia, que hás de ser destruída, feliz aquele que te der o pago do mal que nos fizeste. Feliz aquele que pegar teus filhos e esmagá-los contra a pedra.). Mas também é um dos únicos lugares em que podemos falar de nós para nós mesmos: “Por que estás abatida, ó minha alma? Por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, a ele, meu auxílio e Deus meu”.

Um comentário:

Ricardo Manha disse...

Quando li o seu post, lembrei-me de minha infância, de todas as vezes que meu avô cantava pra mim o refrão "alegrei-me quando me disseram vamos a casa do Senhor", enquanto caminhávamos para a Escola Dominical (me senti na romagem em Israel). Eu me encontrei no Salmo, com sentimentos de alegria e saudade, no mesmo instante em que Deus renovava-me as forças com tais lembranças.
Eu pude concluir uma coisa, precisamos repassar isso para os nossos pequeninos, cantar ou recitar a Palavra de Deus para que eles cresçam estruturados e tenham de onde tirar forças depois de adultos. Ou que simplesmente se encontrem nos Salmos com lembranças saudáveis.
Um forte abraço.