sábado, 26 de janeiro de 2013

A Bíblia em Português (parte 2)

Era meu plano abordar hoje o texto fonte da tradução, entretanto, como surgiram algumas dúvidas e foram feitas algumas observações, vi que ainda precisava esclarecer um ponto: a capacidade de comunicação. Afinal nossa Confissão de Fé exige dos textos originais: “... têm de ser traduzidos nas línguas vulgares de todas as nações aonde chegarem, a fim de que a palavra de Deus, permanecendo nelas abundantemente, adorem a Deus de modo aceitável e possuam a esperança pela paciência e conforto das Escrituras”(CFW I viii).

Estou ciente de que falar de traduções a partir de um trecho tão pequeno é temerário, porém não pretendo fazer um tratado. Apenas chamar sua atenção.

1ª - Revista e Corrigida: Apresenta a Bíblia em linguagem erudita, com frases próprias de uma geração acima dos 50 anos e culta. Veja como exemplo o Salmo 32.1-4: Masquil de Davi - Bem-aventurado aquele cuja transgressão é perdoada, e cujo pecado é coberto. 2 Bem-aventurado o homem a quem o SENHOR não imputa maldade, e em cujo espírito não há engano. 3 Enquanto eu me calei, envelheceram os meus ossos pelo meu bramido em todo o dia. 4 Porque de dia e de noite a tua mão pesava sobre mim; o meu humor se tornou em sequidão de estio. (Selá). O gênero literário é apenas transliterado (Masquil). A ambiguidade de “todo dia” é resolvido com “em todo o dia”. A palavra “humor” expressa a visão antiga dos quatro líquidos reguladores (sangue, fleuma e as duas bílis), pois a palavra original fala de algo como “umidade interna” que certamente contrasta com sequidão de estio. A marcação de tempo (Selá), que orientava o canto, foi só transliterado.

2ª - Revista e Atualizada: Também apresenta uma linguagem culta, porém mais acessível, com frases mais diretas. Veja o mesmo exemplo: De Davi. Salmo didático - Bem-aventurado aquele cuja iniquidade é perdoada, cujo pecado é coberto. 2 Bem-aventurado o homem a quem o SENHOR não atribui iniquidade e em cujo espírito não há dolo. 3 Enquanto calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos pelos meus constantes gemidos todo o dia. 4 Porque a tua mão pesava dia e noite sobre mim, e o meu vigor se tornou em sequidão de estio. O título foi interpretado, provavelmente com acerto, pois os demais salmos intitulados Masquil tem um forte apelo didático. Observe o que é equivalência dinâmica, que é usada apenas na primeira parte do verso: traduzem a tal humidade por “vigor”, mas obviamente demandaria “ficou sem alento”, pra ser coerente. A marcação musical sumiu.

3ª - Corrigida Fiel: De modo geral, até aqui, no que concerne a forma, o mesmo que foi dito da Corrigida pode ser dito da Corrigida Fiel, e o Salmo 32.1-4 é um bom exemplo para ambas.

4ª - Contemporânea: Preservaram a mesma estrutura frasal da Corrigida, apesar de declararem procurar evitar “arcaísmos”. Veja o mesmo exemplo: Um masquil de Davi. Bem-aventurado aquele cuja transgressão é perdoada, e cujo pecado é coberto. 2 Bem-aventurado a quem o Senhor não atribui pecado, em cujo espírito não há engano. 3 Enquanto me calei, envelheceram os meus ossos pelo meu bramido o dia todo. 4 Pois de dia e de noite a tua mão pesava sobre mim; o meu humor se tornou em sequidão de estio. (selá). Observe o artigo indefinido “um” antes de Masquil. A troca de “imputa” pelo mais claro “atribui”. A substituição de “todo o dia” pelo menos ambíguo “dia todo” e de “porque” por “pois”. Incoerentemente mantém “bramido”. Ou seja: é mais uma revisão do que propriamente uma tradução.

5ª - Século XXI: Buscaram uma fraseologia direta com palavras mais compreensíveis: Masquil de Davi. Bem-aventurado aquele cuja transgressão é perdoada e cujo pecado é coberto! 2 Bem-aventurado o homem a quem o SENHOR não atribui culpa e em quem não há engano! 3 Enquanto me calei, meus ossos se consumiam de tanto gemer o dia todo. 4 Porque tua mão pesava sobre mim de dia e de noite; meu vigor se esgotou como no calor da seca. [Interlúdio]. É mais parecida com a Corrigida. O gênero literário foi transliterado. Manteve-se “transgressão”, entretanto usou-se “culpa”. Assimilou-se espírito por pessoa através do pronome “quem”. Envelhecer foi substituído por “consumir” e manteve-se o menos ambíguo “dia todo”. O “calor da seca” que exaure as forças dos animais, tornou-se o paralelo para explicar como o vigor foi esgotado. A marca de tempo traduzida por interlúdio transmite a impressão de um tempo maior do que uma simples pausa.

Outros textos:

6ª - NVI: Tem frases mais simples: Davídico. Poema. Como é feliz aquele que tem suas transgressões perdoadas e seus pecados apagados! 2 Como é feliz aquele a quem o SENHOR não atribui culpa e em quem não há hipocrisia! 3 Enquanto eu mantinha escondidos os meus pecados, o meu corpo definhava de tanto gemer. 4 Pois dia e noite a tua mão pesava sobre mim; minhas forças foram-se esgotando como em tempo de seca. Pausa. Com “Davídico” se dá suporte a corrente hermenêutica que defende a teoria de que “os Salmos atribuídos a Davi não foram necessariamente escritos por ele, mas ao estilo dele”. Isso, no mínimo, coloca em dúvida as palavras do Senhor Jesus que formulou doutrina em cima do título do Salmo 110. Poema, também não faz justiça à complexa classificação de gênero literário da poesia hebraica. De resto, prefiro a coerência intrínseca dos termos escolhidos. Inclusive “Pausa”.

Porém, há algo fora do salmo que deve ser objeto de alerta: O uso dos pronomes. Veja: Gn 15.2-5: Mas Abrão perguntou: “Ó Soberano SENHOR, que me darás, se continuo sem filhos e o herdeiro do que possuo é Eliézer de Damasco?”E acrescentou: “Tu não me deste filho algum! Um servo da minha casa será o meu herdeiro!”Então o SENHOR deu-lhe a seguinte resposta: “Seu herdeiro não será esse. Um filho gerado por você mesmo será o seu herdeiro”. Levando-o para fora da tenda, disse-lhe: “Olhe para o céu e conte as estrelas, se é que pode contá-las”. E prosseguiu: “Assim será a sua descendência”. Percebeu? Em um diálogo, Abraão dirige-se a Deus chamando-lhe de “tu” (2ª pessoa do singular) e Deus lhe responde chamando-lhe de você (3ª pessoa do plural funcionando como 3ª pessoa do singular). Sei que é um esforço para que o texto fique mais próximo da língua do dia-a-dia. Mas além de perder o estilo próprio da Bíblia cria ambiguidades e introduz essa marcação pronominal estranha ao texto.

7ª - Linguagem de Hoje: O objetivo dessa tradução era uma linguagem acessível a qualquer pessoa alfabetizada, com um mínimo de capacidade de interpretação de um texto. Entretanto, além da precisão ficar prejudicada, muitas palavras precisaram ser mantidas a ponto de se ter um glossário ao final. As frases são simples: [Poesia de Davi.] Feliz aquele cujas maldades Deus perdoa e cujos pecados ele apaga! 2 Feliz aquele que o SENHOR Deus não acusa de fazer coisas más e que não age com falsidade! 3 Enquanto não confessei o meu pecado, eu me cansava, chorando o dia inteiro. 4 De dia e de noite, tu me castigaste, ó Deus, e as minhas forças se acabaram como o sereno que seca no calor do verão. Se “Poemas” era genérico, “poesia” é pior. Agora observe que não há qualquer preocupação com a precisão dos termos: transgressão/ iniquidade, ou imputação/atribuição, são traduzidos simplesmente maldades/pecados e perdoar/apagar. No v2 aparece alguma coisa no verbo “acusar”, mas o conteúdo é diluído em “coisas más” e “falsidades”. No v3 o terrível “envelheceram meus ossos” foi substituído pelo ameno “me cansava”. E no v4 se introduziu algo totalmente extra texto: “sereno”. Sumiu, como na Atualizada, a marca de pausa.

8ª - Bíblia Viva e A Mensagem: Não creio que valha a pena usá-las para outra coisa que não seja estudos pessoais. As explicações que elas demandam são tantas que é melhor gastar um pouco de tempo ensinando palavras novas aos leitores.

O que fica disso tudo? Como pastor sou obrigado, por minha consciência e pelo juramento confessional a apresentar ao rebanho que Deus me confiou a melhor tradução das Escrituras Sagradas. Qual é a melhor? Eu gostaria muito que todas as minhas ovelhas possuíssem erudição suficiente para entender o português das Corrigidas, mas me contento com a Atualizada e cada dia sinto mais simpatia pela Século XXI. Lamento que nossa Casa Editora não tenha em seu catálogo uma versão fácil de ler e fiel de conteúdo.

8 comentários:

Hamilton Fonseca disse...

Muito bom o texto. Mas reverendo, se o senhor puder me responder, qual é a sua opinião sobre a versão em língua portuguesa da bíblia King James?

folton nogueira disse...

Meu irmão, vou procurar conhecê-la. Fiquei sabendo da existência dela no sábado logo depois de ter postado o texto na internet.
ab
Fôlton

joão disse...

Tenho acompanhado de perto todas as pastorais do Rev. Fôlton. as duas últimas, com certeza trouxe esclerecimento e a resposta à várias perguntas: Porque tantas Traduções? Realmente o povo de Deus precisa de serem esclarecidos e Rev. está o fazendo muito bem.

folton nogueira disse...

Que Deus seja louvado João. Espero, com esses artigos, contribuir um pouco para que haja mais sede para se conhecer as riquezas da Palavra de Deus.
abraços
Fôlton

Anônimo disse...

E quanto os originais?

folton nogueira disse...

Se Deus permitir, na próxima semana sairá algo sobre os originais.
ab
Fôlton

Anônimo disse...

Rev. Fôlton,

Após ler seus excelentes textos sobre os textos originais, percebi que o senhor colocou o endereço do site dos manuscritos de Qunram, o que achei ótimo, pois talvez desperte o interesse de alguma ovelha. O senhor, porém, não colocou nenhum endereço relaciona ao Texto Massorético ou do Codex Sinaiticus, por essa razão, resolvi enviá-lo tais endereços. E peço-te que me envies endereços de sites ou pdf's ou algo do tipo sobre os originais ou relacionados.

Eis os endereços:
http://www.aleppocodex.org/
http://codexsinaiticus.org/en/

Att.
Igor

folton nogueira disse...

Caro Igor,

Segue uma relação deles, porém seja cuidadoso pois há coisa que precisa ser filtrada já que são mais genéricos do que técnicos:
http://archive.org/index.php
http://openlibrary.org/
http://www.reference.com/
http://www.jewishpress.com/
http://code.google.com/p/bussola/
http://www.specialtyinterests.net/
http://scripturetext.com/
http://www.jewishvirtuallibrary.org/jsource/bibliowf.html
Abraços do pastor e amigo
Fôlton